Rui Cardoso Martins

Rui Cardoso Martins (Portalegre, 1967) é escritor, cronista e argumentista. É autor dos romances E Se Eu Gostasse Muito de Morrer (2006), Deixem Passar o Homem Invisível (2009, Prémio APE), Se Fosse Fácil Era Para os Outros (2012) e O Osso da Borboleta (2014), e das coletâneas de crónicas Levante-se o Réu (2015) e Levante-se o Réu Outra Vez (2016, Prémio APE). Tem livros traduzidos em diversas línguas. Foi repórter do Público e é cronista no Jornal de Notícias. É argumentista de cinema e televisão, vencedor do prémio Sophia para Melhor Argumento Original com o filme A Herdade (candidato a Leão de Ouro do Festival de Veneza 2019 e na competição principal do Toronto Film Festival) e com a série Sul (também vencedora do prémio SPA para melhor ficção televisiva). É autor de peças de teatro como Última Hora, estreada em 2020 no Teatro Nacional D. Maria II e editada pela Tinta-da-china. Atualmente, é professor da cadeira de Arte da Crónica, da pós-graduação em Artes da Escrita da FCSH-UNL, e professor de Guionismo no Curso de Cinema da Universidade Lusófona.